como-apresentar-codigo-em-slides-triadworks

5 dicas para apresentar código em slides

Você vai palestrar na faculdade, trabalho ou algum evento? Tem código nos teus slides? Então com certeza essas 5 dicas são para você…

No último evento da JavaCE eu palestrei sobre Como Apresentar Código em Slides. Esta palestra rendeu ótimos feedbacks e muitos likes e RTs no Twitter

Não foi por acaso, são 5 dicas matadoras sobre como apresentar código de maneira eficiente! Se você seguir essas dicas, as chances são de que você receba muitos “likes” do seu público!

Dúvida? Então veja os slides da apresentação na qual contém vários exemplos de como NÃO mostrar código e claro, a maneira que considero correta de apresentar código:

Eu resumi as 5 dicas em um post no blog da TriadWorks, dessa forma se você perdeu a palestra você não terá problemas de entender cada uma dela enquanto acompanha os slides.

E aí, o que achou das dicas? Dá para aplicar na sua próxima apresentação na faculdade ou trabalho?

PS: eu errei muito nas minhas primeiras palestras, sério mesmo, mas você não precisa passar por isso!

jUnit: testando classe que mexem com arquivos

Testando classes que lidam com arquivos com jUnit Rules e TemporaryFolder

É quase que mandatório todo projeto Java ter uma classe FileUtils da vida para manipular arquivos… É ou não é?

public class FileUtils {

    /**
     * Lista todos os arquivos de um diretorio
     */
    public static List<File> lista(File diretorio) {
        File[] arquivos = diretorio.listFiles();
        return Arrays.asList(arquivos);
    }

    public static void deleta(File arquivo) { ... }

    public static void copia(File origem, File destino) { ... }

    public static void escreve(File arquivo, String conteudo) { ... }

    // outros métodos
}

Mas infelizmente ela não é levada tão a sério assim! No geral ela é testada manualmente“por tabela” quando testamos outra funcionalidade do sistema.

@Repository
public UsuarioDao {
    
    @Transactional
    public void deleta(Usuario usuario) {
        this.entityManager.remove(usuario);
        FileUtils.deleta(usuario.getFoto()); // deleta foto do disco
    }
}

Essa prática leva a problemas que você já deve conhecer bem, como brechas para bugs! O que fazer então? Simples, cubra a classe com testes automatizados!

Por azar nosso testar uma classe que acessa disco não é tão simples quanto um teste de unidade qualquer, por esse motivo existe alguns detalhes que você precisa saber antes de programar a 1a linha de teste (isso é muito importante!). Para entender estes detalhes, leia o novo post no blog daTriadWorks:

[Blog] Testes de Integração na prática: testando classes que manipulam arquivos com jUnit

De quebra você ainda conhece uma feature do jUnit que facilita em N vezes a escrita dos seus testes e principalmente a vida da equipe:

public class FileUtilsTest {

    @Rule
    public TemporaryFolder temp = new TemporaryFolder();

}

E aí, o que achou da dica? Aproveita e compartilha esse post com seus amigos e sua equipe – dá para tirar boas discussões daí!

2o Mau Habito Dos Desenvolvedores JSF

Método getter invocado múltiplas vezes?

Você sabia que uma simples consulta ao banco de dados colocada no método errado do seu managed bean pode tornar suas páginas 10x mais lentas?

Entre 2008 e 2014 eu palestrei em diversos lugares do Brasil sobre os 10 maus hábitos dos desenvolvedores JSF, e sem dúvida um dos problemas mais comuns que encontrei durante estas palestras conversando com profissionais, em consultorias e treinamentos foi o 2o mau hábito: colocar lógica cara em métodos getters.

Provavelmente você já caiu neste 2o mau hábito ou conhece alguém que tenha caído, de qualquer forma, podemos simplificá-lo com um simples trecho de código. Por exemplo, um problema grave pode estar num simples método getter:

public List<Produto> getProdutos() {
    return this.dao.lista(); // lista produtos do banco
}

Apesar deste método parecer inofensivo ele pode tornar sua página até 10x mais lenta para abrir no navegador! Caso duvide ou queira entender por que ele pode ser tão perigoso para sua aplicação, eu recomendo a leitura do meu novo post:

>> JSF: Não coloque processamento caro em métodos getters

Colocar consultas dentro de getters é tão perigoso que, na maioria dos casos, além de impactar diretamente na aplicação Java ele impacta no banco de dados pois este é bombardeado com inúmeras consultas.

E aí, o que achou da dica?

Deixe seu comentário, e se tiver algum amigo que curte meter consultas em getters por comodidade, eis a chance de convence-lo do contrário.