Limpando a árvore de componentes no JSF 2.2

Um dos posts no meu blog que mais ajudou desenvolvedores foi o post sobre Limpando a árvore de componentes, pois nele discutimos como os componentes são trabalhados durante o ciclo de vida, o que evita vários problemas no dia a dia.

As técnicas para limpar a árvore que ensinei funcionam até hoje, no entanto, para nossa sorte, o expert group resolveu adicionar a funcionalidade na API e componentes no JSF 2.2. A partir de agora, a limpeza da árvore ficou mais simples e até mais performática na última versão do faces! Então o melhor a se fazer é tirar proveito desse novo recursos em nossas aplicações!

Para conhecer as mudanças na tag f:ajax e os novos métodos na API do JSF, você pode ler o post no blog dos instrutores da TriadWorks, limpando formulários e componentes no JSF 2.2, onde apresentamos todos os detalhes que você precisa saber para usar este novo recursos!

FacesUtils: sua classe de utilidades

Um boa prática quando trabalhamos com JSF é tentar manter nossos managed beans o mais simples possível, de tal forma que ele expresse apenas os dados e eventos das nossas páginas. Uma das maneiras de obter isso é isolando a API do próprio JSF através de uma classe de utilidades, também conhecida como FacesUtils.

No blog dos desenvolvedores e instrutores da TriadWorks nós abordamos o assunto e levantamos bons motivos do porquê você precisa ter uma classe desse tipo no seu projeto! Na FacesUtils normalmente encontramos métodos para lidar com a árvore de componentes, busca e renderização de componentes, navegação entre páginas e muito mais.

Vale muito a pena a leitura!

Conversores e validadores acessando beans do Spring

Não é incomum ter conversores ou validadores do JSF que precisem acessar o banco de dados ou mesmo outros recursos do sistema, como um webservice, por exemplo. A verdade que esta prática é muito utilizada quando implementamos nossos entity converters. Quando trabalhamos com Spring ou CDI nós temos todo o poder de um container de IoC/DI, o que nos possibilita injetar beans gerenciados em nossas classes ou mesmo managed beans. Contudo a especificação do JSF 2.x ainda não tem um suporte decente de DI para conversores, validadores e alguns outros componentes internos do framework.

Para contornar essa limitação, podemos gerenciar os conversores do JSF com o container do Spring ou CDI. Dessa forma ganhamos a possibilidade de injetar qualquer bean dentro dos conversores e aplicar qualquer recurso extra do container, segurança, caching, controle transacional etc. Para saber mais detalhes sobre como injetar beans em seus validadores ou conversores, não deixe de ler o último post de 2014 no blog dos desenvolvedores da TriadWorks.