Economize memória com o padrão Flyweight

Quando desenvolvemos jogos é muito comum termos diversas entidades do mesmo tipo em um cenário, como inimigos, projéteis, nuvens, efeitos etc. Criar sempre novos objetos para cada entidade que surge na tela é algo custoso para JVM, tanto em performance quanto em uso de memória.

Para minimizar o uso desnecessário de recursos da máquina ou dispositivo, nós podemos utilizar o padrão Flyweight, na qual se encarregaria de criar apenas um único objeto em memória e compartilhá-lo pelo resto do jogo ou aplicação. A idéia é simples mas os ganhos são consideráveis!

Para exemplificar bem o uso deste padrão de projeto, nós da TriadWorks escrevemos um post sobre o assunto com direito a exemplos! Vale a pena dar uma olhada e ver se esse padrão se encaixa no seu projeto!

Para não perder nenhum post no blog dos instrutores da TriadWorks, você pode se inscrever na nossa página (fica no rodapé!) e receber um email sempre que um novo post for lançado! Ah! Nós estamos tentando blogar toda segunda-feira pela manhã, então fica de olho!

O excesso de ifs no seu código JavaScript

O excesso de ifs no código é comum quando trabalhamos com JavaScript e parece normal e imprescindível em muitos casos, mas na verdade é um problema que pode trazer maus cheiros, como repetição de código, falta de legibilidade e prejudicar diretamente na manutenção do software.

Para resolver isso sem muito esforço, podemos usar práticas e princípios de orientação a objetos, como polimorfismo e herança. Em linguagens dinâmicas (como JavaScript, Ruby e Python) nós podemos tirar vantagens da linguagem e utilizar uma técnica mais simples porém tão poderosa quanto polimorfismo, neste caso, Duck Typing.

Para entender o uso da técnica de duck typing e remover o aglomerado de ifs do seu código, você pode ler o artigo no blog dos desenvolvedores da TriadWorks. Através de um exemplo prático e didático fica fácil enxergar a problemática e a solução com o uso de duck typing.

Este problema não só ocorre com JavaScript, mas com várias outras linguagens e paradigmas, inclusive com Java. Por esse motivo, é importante entender como podemos melhorar a qualidade do nosso código com práticas de orientação a objetos!